Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

sábado, 29 de outubro de 2016

O recital "O ser e o mundo"

     O professor Jorge Leal produziu o vídeo acima com os principais momentos do recital O Ser e o mundo, apresentado pelos alunos do 3º ano D do Colégio Estadual Professor João de Oliveira. Vale a pena ver e rever.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

domingo, 23 de outubro de 2016

Realizado o I ECCA do CEJDS

A disciplina de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira realizou o I Encontro de Comunicação, Cultura e Arte do Colégio Estadual José Dantas de Souza. O objetivo do encontro foi mostrar as atividades artísticas e de comunicação dos alunos do professor Landisvalth Lima. Teatro, vídeo, dança, documentários. Além disso, aconteceram palestras sobre bulling protagonizadas pelo professor Nilton Alex. As atividades valem nota para a 3ª unidade.

Os trabalhos apresentados foram:

1 – Pai contra mãe – filme – adaptação do conto homônimo de Machado de Assis – 2º A
2 – Drogas, vícios e alienação – documentário – 3º A
3 – A Moreninha – filme – adaptação do romance de Joaquim Manoel de Macedo – 2º A
4 – Marília de Dirceu – Filme – 1º A
5 – A história dos povoados de Heliópolis – documentário – 3º A
6 – A história de Heliópolis – documentário – 3º A
7 – Quincas Borba – filme – adaptação do romance homônimo de Machado de Assis – 2º A
8 – Pai contra mãe – filme – 1º B
9 – A carteira – teatro – adaptação do conto homônimo de Machado de Assis – 1º A
10 – O enfermeiro – dança – adaptação de conto homônimo de Machado de Assis – 1º A
11 – Missa do Galo – dança – adaptação de conto homônimo de Machado de Assis – 1º C
12 – Diva – dança – adaptação do romance homônimo de José de Alencar – 1º A
13 – Diva – teatro – adaptação do romance de José de Alencar
14 - Recital de poesia romântica - video - 2º A
15 - A violência em Heliópolis - documentário - 3º A 
No sábado pela noite, o I ECCA foi encerrado com Gabi Santos e banda 100 Vergonha. Ao longo da semana, os vídeos produzidos pelos alunos serão postados no You Tube, no portal Bahia do Norte, no Landisvalth Blog e no Cheio de Arte.  Para ver fotos do evento, dê um clique AQUI.

sábado, 15 de outubro de 2016

Morre Antônio Carlos Viana

Antonio Carlos Viana tinha 72 anos (foto:Cia das Letras)
Um dos mais representativos escritores da atualidade morreu na manhã deste sábado (15), em um hospital de Aracaju. Trata-se do também professor Antônio Carlos Viana, 72 anos. Ele lutava contra um câncer tipo mieloma, que atinge a medula. Antônio Carlos Mangueira Viana era professor aposentado da Universidade Federal de Sergipe e autor de vários livros de contos.
Viana nasce em Aracaju, em 1944. Formou-se na faculdade de Filosofia na sua cidade natal. Transferiu-se para o Rio de Janeiro para tentar a carreira diplomática, sem sucesso. Passou pela Psicologia e acabou ensinando Português, Literatura e Redação. Foi depois para Teresópolis. Lá, para complementar o necessário à sobrevivência, vendia cachorro-quente na porta do INPS. Seus escritos, quase sempre contos, nunca eram editados. Chegou a sobreviver fazendo traduções. Sempre estudando, fez mestrado em Teoria Literária, na PUC-RS e doutoramento em Literatura Comparada pela Universidade de Nice, na França.
Foi professor da UFS. Lá coordenou a Oficina de Redação do Departamento de Letras. Desse último trabalho nasce o livro Roteiro de Redação: Lendo e argumentando, da Scipione (participam ainda as professoras Ana Maria Macedo Valença, Denise Porto Cardoso e Sônia Maria Machado). Coleciona ainda quatro importantes títulos: vencedor do Prêmio Esso de Literatura – 1971 e do II Concurso Nacional de Literatura – 1992, promovido pela Prefeitura Municipal de Garibaldi – RS, e dois prêmios pela APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte, o primeiro prêmio em 2009, com o livro "cine privê". No ano passado, mais um prêmio da Associação Paulista, com o livro "jeito de matar lagartas".
Ao todo, Antônio Carlos Viana publicou 7 coletâneas de contos. Brincar de manja (Cátedra – 1974), Em pleno castigo (Hucitec - 1981), O meio do mundo (Libra & Libra – 1993) e O meio do mundo e outros contos (Companhia Das Letras – 1999).  Viana também participou de uma antologia de Os melhores contos brasileiros de 1974, em 1975, e da coletânea Os cem melhores contos brasileiros do século (Objetiva – 2000), seleção de Ítalo Moriconi. Segundo Paulo Henriques Brito, no prefácio de O meio do mundo e outros contos, os livros de Viana são magros mas substanciais para revelá-lo como um mestre do conto moderno. Sua ficção criou um mundo desconcertante e inconfundível. Os últimos três títulos publicados por Viana foram: Aberto está o inferno (2004), Cine Prive (2009), e Jeito de matar lagartas (2015). 
O corpo do escritor será velado a partir das 14h na Biblioteca Epifânio Dórea, localizada na rua Vila Cristina, no Bairro 13 de Julho. Em seguida, será cremado na cidade de Salvador, Estado da Bahia.  Em abril de 2015, Viana concedeu entrevista ao G1 de Sergipe sobre sua carreira e sobre o lançamento do seu último livro. Para ver a entrevista completa, dê um clique AQUI.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Balão de Absinto

(Designergh.com.br)
Mãe, tô indo embora
A chuva caiu e brotou
Amadureci e ninguém notou

Mãe, tô indo embora
O inferno são os outros
E me rotular é um crime

Mãe, tô indo embora
A lua é minha mulher
E não posso lhe dar netos

Mãe, tô indo embora
O que não rola cria limo
E não tem caminho para se perder

Mãe, tô indo embora
O mundo é uma gaiola de loucos
E é para o céu que eles voam

Mãe, tô indo embora
Nada é feito para durar
E por isso procuro infinitos

Mãe, já fui embora
A felicidade é um bem variável
Ao beijo, dado por nós, à vida.

         (Leonardo Santana - estudante do 3º ano do Colégio do Salvador - Aracaju - Sergipe)

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Documentário sobre Graciliano Ramos

Mário de Andrade em vídeo raro

     O acervo da Biblioteca da FAU/USP acaba de recuperar um raro registro de Mário de Andrade em vídeo, que aparece de fundo no documentário “Architectura modernista em S. Paulo”, que apresenta a inauguração da casa modernista do arquiteto Gregori Warchavchik em 1930.